GP de Mônaco 2012 – A luta de Button

jenson

É difícil imaginar que Jenson Button esteja muito animado para a corrida de hoje. A energia, a vitalidade e o entusiasmo do homem podem sugerir que ele ficaria feliz em pilotar um F1 no estacionamento do supermercado local. Que dirá então dirigir um nas ruas de sua “cidade natal”. Mas estamos imaginando aqui como deve ser largar da 13º posição, em um carro de F1 no qual você não acertou a mão. Apostamos que JB preferiria estar nas montanhas em sua bicicleta de triatlo, contemplando o que deu de errado na sua temporada deste ano.

Jenson já venceu em Mônaco no passado, com o “carro-maravilha” da Brawn, e ele já venceu este ano, começando a temporada com uma vitória que sugeria que o equilíbrio de forças na McLaren mudou irrevogavelmente, e a McLaren MP4-27 foi a ferramenta que ele usou – e não Lewis Hamilton – para garantir seu bicampeonato mundial.

Na Austrália, parecia que Button finalmente achou uma maneira de desarmar Lewis da única carta que Hamilton sempre tinha na manga – aqueles poucos décimos de segundo feitos de pé embaixo. Sem a vantagem da velocidade, Hamilton foi neutralizado. Dava para ver no rosto do Lewis após a corrida – “Mas o que aconteceu?” Button era mais gentil com seu carro, mais empático com seus pneus, relaciona-se bem com a equipe, e melhor na questão de estratégias de corridas. Mas Lewis sempre foi o mais rápido e, digam o que quiserem, isso ainda é o mais importante na F1. A corrida de Melbourne deve ter virado o “karma” do Lewis de cabeça para baixo.

Mas não. O que quer que Lewis tenha feito durante o inverno europeu, com a família, com a namorado, com a direção da equipe, com sei lá o quê, teve um efeito profundo nele. Não parece um truque psicológico barato, mas sim um olhar totalmente diferente sobre a vida. Nada parece abalar o Lewis este ano, e isso parece ter abalado o Jenson.

Não conseguimos engolir a imagem pública do JB, o do cara “cabeça fria”. Não nos levem a mal, ele ainda é o piloto da F1 que mais queremos ser, mas nem pensem que ele tem busca as vitórias de maneira igualmente calma. Afinal, ele é um triatleta, e um dos melhores. Provar que ele é o melhor importa muito para ele.

Então, nos últimos dois anos ele tem usado esse charme e a boa-pinta para ganhar a confiança da McLaren, a mesma equipe que tem apoiado Lewis incondicionalmente desde quando ele ainda usava fraldas. Como um meio-irmão mais velho, Jenson entrou para a família e conquistou a todos. Por isso que Lewis parecia tão perdido ano passado. Não era nada relacionado com o pai, a mãe, ou com a Nicole. A família mais importante era a McLaren, que ele havia perdido. Jenson sabia que, para conseguir outro título mundial, ele teria que vencer o Lewis primeiro.

Depois da Austrália, parecia que estava no papo, mas agora tudo mudou. Ontem foi a segunda vez em duas corridas onde Jenson não conseguiu passar para o Q3. Como sempre, haviam apenas alguns décimos de segundo entre Hamilton e Button, mas este ano, e logo neste ano, essa é a diferença entre o 4º lugar e o, bem, 13º lugar.

E Jenson não parece saber como reagir. Nada do que ele disse nas últimas duas semanas sugeriu que ele tenha alguma resposta para sua queda de rendimento. Ele é rápido nos treinos livres, mas ele simplesmente não consegue repetir a boa performance na classificação e na corrida. É quase como se JB agora estivesse sentindo a pressão. E tem o Lewis – sorrindo, dando de ombros, focado no trabalho. Do mesmo jeito que Senna costumava fazer, quando Prost achava que ele tinha a vantagem.

Fonte: TopGear.com

About these ads

Sobre johnflaherty

Meu nome é Sadao H. Konno, mas sou mais conhecido como "John Flaherty". Por quê? Porque sim, uai! Desde criança, eu gosto de carros, tanto que minha lembrança mais antiga dessa época é de uma capa da antiga Audi Magazine. Nunca fui muito de ler os grandes clássicos da literatura, mas o que me salvou foram as revistas especializadas em carros. Mais precisamente, a QUATRO RODAS, a MOTOR SHOW e, recentemente, a AUTO ESPORTE. Acho que foi em 2009 que descobri o Top Gear, e desde então, virei um grande fã da trupe formada pelo Jezza, Hamster, Capitão Lerdo e Stig. Em 2010, inspirado por uma amiga da faculdade, decidi começar a legendar vídeos do Top Gear e postá-los no YouTube. Infelizmente, minha conta foi bloqueada pela BBC, mas agora, ofereço suporte ao blog Top Gear BR.

Publicado em 27/05/12, em Matérias traduzidas, News e marcado como , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 387 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: