A célula de combustível, segundo James May

topgearhondafcxclarity_1

Está confortável? Ótimo. A primeira coisa a entender é que um carro movido a célula de combustível, como o Honda FCX Clarity, ainda é um carro elétrico.

As rodas são movidas por um motor elétrico, assim como num G-Whiz, mas enquanto o G-Whiz depende de baterias recarregáveis, o Clarity vem com seu próprio gerador de eletricidade. Esta é a célula de combustível.

Um carro movido a bateria tem que ser recarregado com um cabo saindo da janela do oitavo andar do seu apartamento, e a operação pode durar a manhã inteira. O carro movido a célula de combustível é reabastecido com hidrogênio a partir de uma bomba, da mesma maneira que um tanque de gasolina é preenchido, e isto leva apenas uns minutos.

A célula de combustível foi descoberta na primeira metade do século XIX, assim como o motor elétrico. Então, ambas as tecnologias datam de antes do motor a combustão interna, e isto é encorajador.

Dentro da célula de combustível – e estou simplificando aqui – o hidrogênio (do tanque) é combinado com oxigênio (do ar) e faz com que uma pequena corrente elétrica passe por um fio, e por razões que não são importantes para nós agora.

Ao juntar várias destas células, uma corrente bem grande pode ser produzida, e é isso que está instalado no Clarity. A rigor, nós deveríamos chamá-lo de “monte de célula de combustível”.

A célula de combustível produz eletricidade “on-demand”, quando o motor precisar, e respondendo à maneira como se pisa no acelerador. No resto do tempo, o hidrogênio fica esperando tranquilamente no tanque e o inconsciente oxigênio continua sendo parte do ar. Ela não irá descarregar.

A tecnologia já funciona extremamente bem: a célula do Clarity produz potência similar à de um motor 4 cilindros convencional da Honda, e o carro anda como um típico sedã familiar. Para ser honesto, há uma década eu dirigi um carro GM movido a célula de combustível, baseado num Vauxhall Zafira.

A célula de combustível naquele carro ocupava o espaço que o motor a combustão ocuparia, e estava fixado – eles fizeram isto para provar seu ponto de vista – nos mesmo suportes.

O problema aqui é o hidrogênio. Ele é o elemento mais abundante do Universo mas, assim como os liberais democratas, está destinado a fazer parte de uma coalisão atômica – na água, por exemplo, que é H2O.

Ele não gosta de ficar sozinho. De fato, é a vontade natural do hidrogênio de juntar-se novamente à maior festança molecular do mundo que faz a célula de combustível funcionar.

Remover o hidrogênio da “festa” exige muita energia, e assim nós vamos de encontro à parede de tijolos que a Natureza ergueu no caminho de qualquer tentativa de conseguir algo sem dar nada em troca.

Não adianta, digamos, queimar petróleo para produzir a energia necessária para extrair hidrogênio e usá-lo para gerar eletricidade para o carro. Melhor colocar o petróleo no carro, algo que já fazemos hoje em dia.

É isso que muita gente não entende. A eletricidade não é uma fonte de energia; ela é o que os físicos chamam de um meio de transferência de energia.

A eletricidade é o mensageiro da energia, espalhando o bom trabalho de algum tipo de combustível usado na central elétrica para lugares distantes, como uma cozinha, e evitando que precisemos fazer nossas lava-louças funcionarem com carvão.

“A eletricidade faz todo o trabalho duro por você”, como dizia um velho filme informativo da Pathé. “Você simplesmente liga-a e desliga-a.”

O hidrogênio é apenas outro passo no processo de transferência, e pode ser visto simplesmente como uma bateria inteligente e poderosa.

Mas eis a sacada. Há muita energia grátis num géiser na Islândia, ou na maré do estuário de Humber.

Não são realmente aproveitáveis do jeito que estão, mas se fossem usados para extrair hidrogênio localmente, então ele poderia ser armazenado e liberado quando necessário para fornecer eletricidade aos nossos carros, cortadores de grama e barcos; e até mesmo para nossas casas e fábricas.

Tudo que precisamos – o carro já funciona, lembre-se – é uma distribuição de hidrogênio e infraestrutura de fornecimento. Eu disse “tudo” – na verdade, é um baita desafio porque, como vimos, o hidrogênio sozinho é difícil de conter.

Mas a infraestrutura petroleira não pareceria improvável se ela não existisse e fosse proposta hoje? Nós cuidamos de tudo em questão de décadas.

A criação desta infraestrutura de hidrogênio é, creio eu, onde todo o esforço sendo gasto em baterias recarregáveis deveria ser redirecionado. Mandem ver, cientistas!

Pronto. Espero que não tenha sido tedioso demais, mas você pediu por isso.

Fonte: The Telegraph (24/02/2011)
Tradução: John Flaherty

Toda Terça-Feira, traremos artigos escritos por James May, falando sobre vários tópicos, quase todos sobre carros. Fiquem ligados.

Anúncios

Sobre johnflaherty

Meu nome é Sadao H. Konno, mas sou mais conhecido como "John Flaherty". Por quê? Porque sim, uai! Desde criança, eu gosto de carros, tanto que minha lembrança mais antiga dessa época é de uma capa da antiga Audi Magazine. Nunca fui muito de ler os grandes clássicos da literatura, mas o que me salvou foram as revistas especializadas em carros. Mais precisamente, a QUATRO RODAS, a MOTOR SHOW e, recentemente, a AUTO ESPORTE. Acho que foi em 2009 que descobri o Top Gear, e desde então, virei um grande fã da trupe formada pelo Jezza, Hamster, Capitão Lerdo e Stig. Em 2010, inspirado por uma amiga da faculdade, decidi começar a legendar vídeos do Top Gear e postá-los no YouTube. Infelizmente, minha conta foi bloqueada pela BBC, mas agora, ofereço suporte ao blog Top Gear BR.

Publicado em 29/11/11, em James May, Matérias traduzidas, News e marcado como , , . Adicione o link aos favoritos. 16 Comentários.

  1. Muito bom! James manja muito!

  2. Alfredo.Araujo

    Videos por favor !!!!
    Chega de artigos !!! =/

    • Pelo contrário, Top Gear é ótimo como programa, mas tão importantes quanto são esses artigos traduzidos aqui pelo pessoal do Top Gear BR!

      Muito bom trabalho pessoal, todo o esforço de vocês é bem vindo e merece reconhecimeto!

  3. Fabio Bianco

    Cadê os vídeos galera?
    Artigo demais e vídeo de menos..
    Não vai ter novos episódios por um bom tempo, mas tem aí os ep. antigos!

    • Vai ter vídeo novo essa semana…

      Calma aí gente, estamos no fim de ano, época de aperto pra quem estuda e trabalha…

  4. td que vcs aqui é muito bom, parabéns!!!!!!!!!

    Só uma pergunta, quando que começa a nova temporada do tg lá na inglaterra?

  5. Carbonera

    Ignorem estes que ficam enchendo o saco pedindo vídeos. Simplesmente ignorem.

    Os que realmente são fãs do TopGear, que acompanham o blog desde o começo e são inteligentes o suficiente para saber o quão trabalhoso é editar e legendar um episódio todo, conciliando os trabalhos, estudos e a vida pessoal, sem receber nada em troca não ficam fazendo esse tipo de comentário.
    Continuem fazendo este ótimo trabalho galera, que, assim como eu, a maioria apoia e recebe de muito bom grado os artigos dos “three wise men”.
    Abraço!

    • João Gabriel

      Falou tudo ! ! !

    • Alfredo.Araujo

      Pq ignorar ? Liberdade de expressão irmao !! Ninguem aqui está sendo desrespeitoso com os editores…

      Respeito muito a dedicação e o trabalho do pessoal do TG BR, só q a impressão que fica, é q o trabalho de traduzir os artigos ocupa o tempo que poderiam estar gastando para traduzir um episódio mais antigo…

      Se for esse o caso…. não valeria uma votação ??

      abs

      • Carbonera

        Não mencionei que era falta de respeito, somente que deve encher o saco deles ler isso nos comentários de todos os artigos publicados. Como disse, eles não recebem nada em troca do tempo dedicado ao blog, portanto uma votação não faria nenhum sentido, a menos que você faça parte da equipe TopGearBR (o que não é o caso), só lhe, e nos, resta aguardar por outros episódios, caso eles queiram (sim, só depende deles) postar. As legendas dos episódios estão disponíveis na internet para download; porque, ao invés de ficar pedindo por episódios, ou reclamando pela falta deles, você não baixa elas e começa a traduzir?
        ” a impressão que fica, é que o trabalho de reclamar sempre quando há um artigo novo ocupa o tempo de estar gastando fazendo o que acabei de sugerir…”

        Assim, você ocupa esse “tempo perdido” e, de quebra, ajuda o pessoal do blog enviando as traduções para eles.

        Seus argumentos são inválidos amigo.

  6. Os vídeos são legais, mas os artigos também são importantes.
    É nele que o apresentador mostra seu raciocínio, percepção e inteligência.
    A combinação dos artigos mais os vídeos (quando possível) é uma ótima receita!
    Continuem!

  7. Pedro Henrique

    Pois é, exatamente o que comentei no episódio que eles testam o Honda da foto. Hahaha.

  8. Eu acesso o TGBR todo dia só pra ver se saiu algum artigo traduzido. Vocês estão de parabéns! E mesmo quando voltar a próxima temporada, por favor, não parem com os artigos…

    MUITO OBRIGADO TGBR!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: