Arquivos do Blog

Primeiras impressões: Bugatti Veyron Grand Sport Vitesse

Large Image

Tradução: Paulo Lange

Todos nós sabemos que 1200 cv é uma loucura. Ter toda essa potência conectada ao seu pé direito deveria, com justiça, deixar o mundo completamente louco e fora de controle. Especialmente em um carro conversível, onde os constantes tornados do vento são um adicional ao resto do caos que arranca sua cara diretamente de seu crânio.

Então, me desculpe se parecer idiota, mas a coisa mais admirável e marcante sobre o Bugatti Veyron Grand Sport Vitesse é que esses 1200 cv realmente não fritam seus miolos. A potência parece estar nos limites da sanidade. Bem, mais ou menos.

TopGear.com: Bugatti Veyron, esta é a sua vida

670x377Image

Não estamos sugerindo que as mentes mais brilhantes da Volkswagen inspiraram-se em Shakespeare antes de embarcarem na jornada perigosamente tensa que é o Bugatti Veyron, mas não dá para deixar de detectar alguns traços da Noite de Reis em sua concepção.

“Não tenha medo da grandeza: alguns nascem grandes, alguns alcançam a grandeza e alguns tem a grandeza imposta a eles.” Pode-se dizer que todos os três cenários aplicam-se ao carro.

Na verdade, nem precisamos mencionar o Bardo para atribuir glória a esta coisa; Jeremy resumiu tudo no programa há muito tempo quando ele declarou-o como “o maior carro já feito e o maior carro que veremos nas nossas vidas”.

Nascido em meio a ceticismo, carregando potência que desafia a Física e tornando-se o carro definitivo para uma geração de “petrol-heads”, o Veyron é o máximo em excessos. Ele tem 16 cilindros, pelo amor de Deus, e é capaz de acelerar de 0 a 100 km/h em 2.5 segundos. Todos os dias da semana.

Então, após a companhia ter anunciado o Grand Sport Vitesse – que não é uma homenagem à Rover, mas sim um roadster superrápido – pensamos que era hora de relembrarmos de todas as edições do Veyron. E são tantas que fica até difícil lembrar de todos…

Leia o resto deste post

%d blogueiros gostam disto: